quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Enquete do Blog Simão Dias com Cidadania é vítima de Raqueadores???

Em total respeito aos internautas e a população simãodiense  venho pedir desculpas pelo fato que aconteceu com a enquete que o BLOG colocou para saber a opinião de cada internauta para avaliar quem deveria ser o próximo prefeito de nossa cidade, mais infelizmente um engraçadinho usou de má fé para prejudicar a nossa credibilidade, em virtude deste episódio iremos colocar novamente outra enquete para a população que assesam a net  tenha o direito de opinar na referida enquete, observe que os raqueadores fizeram a fraude na apuração dos votos.
Muito obrigado pela compreensão de todos.
Júnior de Edna Valadares.

Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 27/01/2011

domingo, 23 de janeiro de 2011

Presidente da Câmara de Vereadores de Simão Dias exonera Assesores


O presidente do PPS em Simão Dias o senhor Eliezer Ribeiro o (Lero) vai solicitar as informações ao presidente da Câmara de Vereadores se as exonerações dos cargos de assessores é por que está ultrapassando o limite de 70% dos gastos com os vereadores e assessores, porque segundo informações essas exonerações foi para aumentar os salários dos próprios vereadores que é inconstitucional conforme a constituição federal que diz sob a remuneração do prefeito do vice prefeito e dos vereadores fixadas pela câmara municipal em cada legislatura, para subsequente observando o que dispões os artigos 37, XI 150,II, 153, § 2º , I; até porque os vereadores terão direito de reajustar os seus salários pela inflação que foi de 6,41% no ano de 2010, fora disso está constituída a inconstitucionalidade. A constituição diz que qualquer cidadão poderá solicitar as autoridades públicas informações sobre assunto ou documento de interesse público, que deve ser respeitado no prazo legal. Por isso o Partido Popular Socialista - PPS está constituído legalmente neste município e vai solicitar também as folhas de pagamento de todos os funcionários e o subsidio dos veradores para que a verdade seja esclarecida  conforme a lei. 

Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 23/01/2011

Até que em fim a Associação atlética de Simão Dias faz reforma no telhado



 Atlética de Simão Dias

Dantinho o Conselheiro

 


  







Em conversa com o senhor Anderson Vitorino da Silva o popular Dantinho o mesmo nos informa que antes do clube iniciar  a reforma  ele iria entrar com um requerimento solicitando a diretoria do clube que solicitasse de um órgão competente  uma vistoria no telhado, preocupado pois a diretoria continuava alugando o espaço para realização de eventos como por exemplo festas juninas das escolas envolvendo assim vidas humanas. O conselheiro suplente o senhor Dantinho ficou contente com o início da reforma do telhado mais depois veio um grande susto, quando o telhado da cozinha e do banheiro na parte de dentro do salão desabou. Ai fica a seguinte pergunta. Já pensou se caísse em uma data que tivesse algum evento.

Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 23/01/2011

Aracaju será a estrela política de 2012

Blog - Jozailto Lima - 29/12/2010 07:34


Neste apagar de luzes de 2010, todos os indicadores apontam que os dois anos que se seguirão vão ser um grande laboratório de discussão sobre os destinos político e administrativo de Aracaju. O fato de Marcelo Déda ter perdido a eleição na capital para João Alves é um forte aperitivo de como este processo de rediscussão do futuro da cidade vai ser operado. Hoje, mesmo os vitoriosos da oposição não fazendo contas graciosas, mas botam a esperança na ponta da chuteira, achando que estão na marca do pênalti para se reinserirem no poder.

O discurso deles é muito bem sedimentado pelo que pensa Mendonça Prado, o segundo nome mais vistoso do agrupamento depois de João. "O problema básico é que o grupo que está aí conduz os destinos de Aracaju há quase 30 anos e a cidade diz, em várias áreas, que não lhe pensaram à altura das suas necessidades", diz Mendonça. Ele parte do princípio de que desde Jackson Barreto, em 1985, todos os demais são farinha do mesmo saco. E foram oito prefeitos.

Mas que 'necessidades' são estas que não estão sendo pensadas à altura? "Temos problemas na estrutura da saúde pública, do transporte, da educação e no crescimento público ordenado. Não temos sequer um plano diretor, e a cidade cresce como quer, sem áreas verdes. O que há de funcional no transporte, com o sistema de integração, veio da gestão de João Alves como prefeito", diz Mendonça.

E é aí onde entram 2011 e 2012. "Nós não queremos do aracajuano apenas o voto da revolta. Queremos também o voto dos que apostam num projeto alternativo e de gestão eficiente. E vamos passar estes dois anos elaborando um projeto, um programa para convencer a sociedade", diz Mendonça. Para o genro de João, candidato a prefeito em segundo lugar em 2008 e o deputado federal mais votado pelos aracajuanos este ano, a cidade necessita de um 'choque de gestão' que deve estar acima dos arranjos políticos, das parcerias e até mesmo do nome individual ou isolado do DEM.

"Primeiro vem o projeto para cidade. Depois, em nome do DEM, quem o execute. Para 2012, o projeto administrativo e de gestão para Aracaju é bem mais importante do que um projeto político. Com uma ação política que misture todos (isto em referência ao grupo de Amorim), fica mais fácil de ganhar. Mas depois a partilha e o loteamento entre os aliados, como Déda faz no Governo e Edvaldo na Prefeitura, vai impedir que se aplique o projeto administrativo e de gestão", avisa Mendonça. Ele vê o grupo de Amorim como 'ambíguo'. "Eles não sabem se são governo, se são oposição. Eu faço restrição (a aliar-se a eles em 2012). Se se quer melhorar a vida da cidade, o caminho é um projeto administrativo e de gestão. Loteando não resolve", justifica.

Para Mendonça, em 2012 vai se reeditar a típica disputa de dois lados. "Creio que será uma eleição polarizada entre os grupos das máquinas e a oposição". Mendonça traduz como 'grupos das máquinas' os Governos do Estado e da Prefeitura de Aracaju. No silogismo dele - e será cabotinismo pensar assim? - Sergipe tem 'uma máquina', que seria simbolizada por Déda com o Governo, a União e as Prefeituras, e uma liderança 'autêntica e de verdade', que seria João. E é assim que em 2012 se dará. Como um Bole-Bole e uma Saramandaia. Pode ser um avanço, pode ser um retrocesso.

.Comentários

Sem comentários no momento.

Fonte: Blog do Jozailton Lima
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em  23/01/2011

Projeto Rondon chega hoje em Sergipe

Notícias - Meio Ambiente e Agricultura - 22/01/2011 08:50


Neste sábado, 22, chega a Aracaju o Projeto Rondon. A partir das 9 horas, 40 alunos de instituições de ensino superior de todo o País se reúnem no Teatro Tiradentes, Campus Centro da Unit, para o início oficial da Operação Rio dos Siris.

A operação será realizada até o dia 5 de fevereiro e os estudantes irão desenvolver ações em comunidades carentes de 20 municípios sergipanos, nas áreas de comunicação; cultura; direitos humanos e justiça; educação; meio ambiente; saúde; tecnologia e produção e trabalho.

Os municípios contemplados pelo Rondon no Estado são: Aquidabã, Arauá, Brejo Grande, Capela, Cristinápolis, Gararu, Ilha das Flores, Japoatã, Nossa Sra. Aparecida, Nossa Sra. da Glória, Nossa Sra. de Lourdes, Pacatuba, Pedrinhas, Porto da Folha, Poço Redondo, Riachão do Dantas, Santa Luzia do Itanhy, Santana do São Francisco, Tomar do Geru, Umbaúba.

O Rondon é um projeto coordenado pelo Ministério da Defesa em parceria com ministérios do Desenvolvimento Agrário; Desenvolvimento Social e Combate à Fome; Educação; Esporte; Integração Nacional; Meio Ambiente; Saúde; Secretaria-Geral da Presidência da República.

Mais informações através do site: https://www.defesa.gov.br/index.php/programas-e-projetos/projeto-rondon.html

.Comentários

Sem comentários no momento.

Fonte: Cinform
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 23/01/2011

sábado, 22 de janeiro de 2011

Defesa Civil libera camarotes para a segunda noite de Pré-Caju

21/01/2011 - 18:19

Segundo os técnicos, toda a área foi vistoriada e liberada para a maior prévia carnavalesca do país.

JornaldaCidade.Net


Foto: Maria Odília/Equipe JC
Aracaju (21 jan) - A Defesa Civil acaba de liberar os 12 camarotes que perderam o teto na manhã de hoje.De acordo com o major Mendes, da Defesa Civil estadual, a estrutura recebeu reforço extra e encontra-se em boas condições para receber os foliões nesta segunda noite de Pré-Caju 2011.





Além do órgão, a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e engenheiros do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) estiveram no local do incidente. Segundo os técnicos, toda a área foi vistoriada e liberada para a festa.

Toldo foi recolocado na tarde de hoje. Foto: Maria Odília/Equipe JC

















Fonte: Jornal da Cidade
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 22/01/2011

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Abaixo-assinado contra aumento da tarifa de ônibus será lançado

21/01/2011 09:08:27

Será realizado hoje o ato de lançamento do abaixo-assinado contra a possibilidade de aumento da tarifa de ônibus em Aracaju. O lançamento será realizado a partir das 8h, no Calçadão da Rua João Pessoa.

Durante o ato, serão distribuídos panfletos e materiais informando à população os motivos do documento e as propostas das entidades para a melhoria do transporte público municipal.

A iniciativa surgiu durante uma reunião realizada anteontem (19), quando diversas entidades sindicais, estudantis, movimentos sociais e partidos políticos debateram e encaminharam a necessidade de intensificar as mobilizações em defesa do transporte público de qualidade.

Desde o anúncio da possibilidade de reajuste da tarifa, no início de janeiro, quatro atos públicos já foram realizados, por diferentes segmentos sociais. A novidade deste abaixo-assinado é o fato de estar sendo construído coletivamente por mais de trinta entidades.

A principal reivindicação do documento que será lançado hoje é a contrariedade a qualquer proposta de aumento da tarifa. Uma auditoria pública da planilha de custos e lucros das empresas e o repúdio a qualquer espécie de desoneração para os empresários são outras reivindicações que constarão no documento.

Fonte: Jornal do Dia
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 21/01/2011

Fundação Renascer contesta informações do CNJ

21/01/2011 09:08:58


A Fundação Renascer, vinculada a Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social (Seides), em nota, rebate as críticas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) quando diz que as unidades, além de estarem com as estruturas comprometidas, têm arquitetura prisional, prejudicando a realização de atividades esportivas, lúdicas e profissionalizantes.

De acordo com a assessoria de Comunicação, a instituição tem avanços na execução das medidas socioeducativas, através da modernização de estruturas físicas, atendimento aos adolescentes em conflito com a lei, progressão de medidas socioeducativas, realização de cursos profissionalizantes e da valorização dos profissionais que atuam nas unidades, através de cursos de capacitação e convênio com o Ipesaúde.

A nota esclarece ainda, que os diretores e todos os funcionários que atuam como agentes socioeducadores das unidades são servidores de carreira e não vocacionados, pois trabalham pela infância há muito tempo. Ocorrendo o mesmo com psicólogos e assistentes sociais. Além disso, relata a existência de um movimento de mudança nas unidades, uma preocupação por parte dos gestores em melhorar a realidade dos internos.

Em Sergipe cumprimento de medida socioeducativa não é sinônimo de reclusão. Os adolescentes em cumprimento de medida de internação têm acesso garantido ao ensino formal, profissionalizantes, atividades culturais, religiosas e esportivas. Lembrou ainda que, em uma ação pioneira no Brasil, uma equipe de Futebol de Areia formada por socioeducandos, participou do campeonato sergipano da categoria e ficou entre os quatro finalistas, fato que mereceu reconhecimento da TV Justiça, que através de sua afiliada local fez matéria destacando a ação.

Ainda segundo a nota, as equipes técnicas da Fundação Renascer também desenvolvem ações para inserir o socioeducando no mercado de trabalho, através de empresas privadas e órgãos públicos. As famílias também recebem atendimento diferenciado e através dos grupos de trabalho, que realizam palestras e eventos voltados para conscientização do papel delas no processo de ressocialização.

Fonte: Jornal do Dia
Cidadania se faz aqui.
Postado por  Júnior de Edna Valadares em 21/01/2011

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Energisa-Sergipe facilita o atendimento ao público na regional de Lagarto

Prédio da Energisa Lagarto
Prédio da Energisa Lagarto

Assim como a Energisa Aracaju, a Agência Lagarto seguirá o horário da capital que é das 08:00 horas às l6:00 horas a partir do dia 24/01/2011, facilando assim o atendimento no horário de almoço para aqueles clientes que vem de outras cidades e principalmente os que moram nos povoados, em entrevista com alguns clientes os mesmos declaram satisfação pela iniciativa da Empresa atender melhor os seus clientes.

Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 20/01/2011

Confira as mudanças no trânsito durante o Pré-Caju

Notícias - Capital - 19/01/2011 14:45


O trânsito na avenida Beira Mar e regiões adjacentes, onde acontece o Pré-Caju de 20 a 23 de janeiro, terá algumas alterações. O bloqueio de algumas vias, o desvio de tráfego e mudanças em itinerário de ônibus são algumas das novidades.

Mais de 60 funcionários da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito – SMTT – trabalharão durante o evento para orientar os motoristas.

A partir da madrugada da quinta-feira, 20, as ruas Campo do Brito, Euclides Paes Mendonça, Ananias Azevedo e Flávio Menezes Prado serão fechadas com prismas fixos de concreto e poderão ser parcialmente desbloqueadas às 7h dos dias 21 e 22.

O retorno próximo ao Palácio dos Despachos na avenida Adélia Franco será bloqueado e dois retornos das avenidas Acrísio Cruz e Pedro Valadares também serão fechados durante a festa.

Os corredores de ambulâncias serão nasavenidas Anízio Azevedo, Francisco Porto, Silvio Teixeira e na rua Flávio Menezes S. Prado.

Desvios

A partir das 16h dos dias 20, 21 e 22 e das 14h do dia 23, o fluxo de veículos será desviado do sentido oeste/leste da avenida Silvio Teixeira para o leste/oeste ou ainda para norte/sul da avenida Oviêdo Teixeira. Já o sentido norte/sul da avenida Beira Mar será desviado para a avenida Augusto Maynard e o sentido sul/norte será desviado para a avenida Tancredo Neves.

Na avenida Francisco Porto, o tráfego será desviado no sentido oeste/leste para a avenida Jorge Amado. A avenida Delmiro Gouveia também sofrerá alterações, com desvio do sentido sul/norte para o norte/sul e acesso no último retorno antes da Ponte da Coroa do Meio.

A SMTT divulgou a lista com os pontos extras de embarque e desembarque de passageiros. Confira:

Ônibus:

- Av. Ivo do Prado, em frente ao Restaurante "O Renatão" (Antigo Crase);

- Av. Delmiro Gouveia, em frente ao Hotel Quality;

- Av. Tancredo Neves, em frente ao canteiro de obras na esquina da Beira Mar.

Táxis:

- Av. Oviedo Teixeira com Sílvio Teixeira;

- Av. Beira Mar, próximo à Av. Tancredo Neves, no sentido sul/norte, na altura do último retorno antes de chegar à passarela da alegria;

- Av. Francisco Porto, próximo ao Banco Itaú;

- Av. Delmiro Gouveia, próximo à Ponte da Coroa do Meio.

Fotos: SMTT/Divulgação

Fonte: Cinform
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 20/01/2011

Polícia Civil realiza operação em Poço Verde

Notícias - Segurança Pública - 19/01/2011 09:53


Na manhã desta quarta-feira, 19, a Polícia Civil realizou a prisão de cinco homens - de nomes ainda não informados - no município de Poço Verde. A operação está sendo comandada pelo delegado Vinicius Melo, coordenador da policia do interior.

De acordo com informação da assessoria de comunicação da secretaria de segurança pública, o grupo atuava em arrombamentos, assaltos e tráfico de drogas. A polícia já tinha registrado uma série de reclamações.

A informação é que cerca de 100 policiais foram utilizados nessa operação. Além das prisões, já foram apreendidos drogas e armas.

.Comentários

(5856) Postado em 19/01/2011 09:48 por Lourinaldo

Isso tudo por conta da festa aqui em poço verde, o poçoverdefest, depois da festa volta novamente o terror, pois uma cidade de 22 mil habitantes sendo protegida por dois ou três policiais...durma com esse problema1

Fonte: Cinform
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 20/01/2011

Construtora dá aviso a 400 operários da ponte

19/01/2011 08:51:24




Ponte
 
 O atraso na liberação de recursos pode paralisar uma importante obra sergipana, a construção da ponte Gilberto Amado, que liga os povoados Terra Caída, em Indiaroba, e Porto Cavalo, no município de Estância, além de diminuir a distância entre Aracaju e Salvador.

A paralisação deve acontecer a partir do dia 8 de fevereiro, já que depois dessa data não haverá trabalhadores para desempenhar as tarefas. Segundo o Sindicado dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplanagem de Sergipe (Sintepav), um comunicado da empresa prestadora de serviço, Leno Fonseca foi enviado avisando que 400 colaboradores estão de aviso prévio.

As informações que temos é de que o governo não está repassando o pagamento das medições desde o mês de agosto e quem estava bancando esse valor é a própria empresa, relata o assessor do sindicato, Alexandre Delmondes.

Ainda de acordo com Alexandre a empresa tem cumprido com toda a prestação de contas. A empresa fez tudo que podia, mas agora não tem mais de onde tirar esses recursos, o que vai gerar uma demissão em massa e consequentemente a paralisação da obra, explica.

Mesmo sem poder detalhar as questões contratuais, a um representante da empresa Leno Fonseca confirmou a falta de repasse por parte do governo e os 400 avisos prévios emitidos aos funcionários no início do mês de janeiro.

Governo - Segundo o assessor de comunicação da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Flávio Lima, o atraso no repasse dos recursos é desde o mês de setembro e não agosto, como mencionado pelo sindicato. Essa obra está sendo realizada com 90% dos recursos federais e 10% do Governo do Estado e por conta do final de campanha eleitoral houve esse atraso, informa ele.

Ele disse ainda que o governador Marcelo Déda esteve em Brasília juntamente com o secretário Walmor Barbosa para discutir o assunto. O governador não está parado e na semana passada esteve em Brasília na busca desses recursos. Acreditamos que até o vencimento do aviso prévio dos trabalhadores a situação esteja normalizada, relata.

O assessor ainda ressaltou que cerca de 64% da obra já está concluída, pois as 160 estacas da parte principal da ponte já estão prontas e todo o material é preparado dentro do canteiro de obras, o que diminui os custos.

Ponte - A Ponte Gilberto Amado encurtará o caminho e o tempo de viagem entre Salvador e Aracaju, fortalecendo o turismo e atraindo dividendos para o Estado de Sergipe. A obra terá 1,7 km de extensão, duas pistas de rolamento, acostamento de 1,5 metros de cada lado, corrimão, divisor de vias, totalizando 14,2 metros de largura.

O investimento presto é de R$ 106 milhões.

Fonte: Jornal do Dia
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 20/01/2011

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Professores vão voltar para sala de aula

18/01/2011 08:47:38


Um total entre 250 e 300 professores que hoje exercem a função de secretário em escolas da rede pública estadual será substituído por assistentes administrativos ou auxiliares administrativos. Essa é a estimativa do secretário estadual de Educação, Belivaldo Chagas, que estuda tal decisão e deve adotá-la nos próximos dias.
Belivaldo Chagas
Chagas disse que não será baixada nenhuma portaria nesse sentido, mas uma norma administrativa que venha a atender as necessidades do órgão, que tem hoje cerca de 1.200 professores em atividades meio. Parte deste total trabalha na sede da Secretaria e em diretorias regionais do interior do estado, sem contar os professores que estão à disposição de outros órgãos e os que estão de licença.

Se eu tenho auxiliar ou assistente administrativo que tenha condições de ser secretárioem uma escola, a gente vai fazer opção por esse profissional, como podemos também aproveitar professor adaptado para que possa exercer essa função, disse o secretário.

O titular da Secretaria Estadual de Educação (Seed) esclarece que, para a função de secretário de escola, não é obrigatório a presença do professor, diferente da função de coordenador e diretor de escola. O objetivo, segundo ele, é que se tenha um maior numero de professor em sala da aula, devido à carência de professores na rede estadual. Por que é que estamos tomando essa medida, porque precisamos chegar a um número real de vagas na rede e apresentar ao governador do Estado para que determine a realização de um concurso publico para professor, e não podemos fazer isso na base de adivinhação, frisou.

Perguntado sobre quantos professores devem retornar a sala de aula com a nova medida, o secretárioraciocina: Se partir do principio que existe na rede 396 escolas e que cada escola tem pelo menos um secretário, se conseguimos reduzir em pelo menos 50%, teremos ai cerca de 200 professores retornando para a sala de aula.

Ele diz também que outras situações serão averiguadas, citando como exemplo, a situação de professores que está funcionando como articular em laboratórios de informática, que pode ser substituído por um profissional da área administrativa da Secretaria que pode vir a exercer essa função. O que estamos fazendo é um trabalho no sentido de buscar profissionais da área administrativa para exercer atividades que possa vir a ser exercida por qualquer profissional da rede, e não exclusivamente um professor, pontua Belivaldo.

O secretário informa também que está fazendo um levantamento em todas as diretorias regionais para saber quantos professores estão nas suas respectivas sedes, assim como já tem o numero de professores em atividade meio na Seed. Com esses números em mãos, vamos chamar os professores para que eles possam retornar à sala de aula, acredita.

Diante de um levantamento que está sendo concluído, o secretário Belivaldonega que tenha hoje cerca de quatro mil professores em atividade meio. Nem contando com os cargos de coordenador e diretor que só pode ser exercido por professor a gente chegue a esse número. Tirando diretor e coordenador, devemos atingir cerca de 1,2 mil professores em atividade meio, incluindo-se ai professores que estão fazendo parte de programas e projetos em execução nas diversas diretorias regionais e na Secretaria que precisa ter a presença do professor acompanhando esses projetos, frisou.

Fonte: Jornal do Dia
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 19/01/2011

Eleição da Mesa da Assembleia Legislativa

18/01/2011 08:53:04


A nova Mesa Diretora da Assembleia Legislativa será eleita em 1º de fevereiro, em votação secreta pela maioria de votos. A nova gestão conduzirá os trabalhos legislativos do biênio 2011/2012. Antes da eleição, porém, haverá a posse dos 24 deputados estaduais eleitos e reeleitos em 3 de outubro do ano passado.

A votação irá escolher os titulares dos seis cargos da Mesa Diretora: presidente, vice-presidente e quatro secretários, todos com funções definidas pelo regimento interno da Casa. Em 2011 será a 17ª Legislatura e os membros da atual composição da mesa poderão concorrer novamente aos cargos.

Durante a eleição, os trabalhos serão conduzidos pela Mesa do período anterior, desde que seus membros estejam ainda no exercício de seus mandatos. A atual presidente da Assembleia Legislativa, Angélica Guimarães (PSC), foi reeleita deputada estadual, tem mais quatro anos de mandato, conduzirá a eleição e poderá, inclusive, concorrer ao cargo.

Fonte: Jornal do Dia
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 19/01/2011

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Tragédia nas serras do Rio já anuncia quase 700 mortos

Notícias - Capital - 17/01/2011 17:30


Deslizamento de terra em  Nova Friburgo-RJ

  Próximo a casa de 700 mortos, é assustador o cenário que aos poucos se instala na região serrana do Rio de Janeiro, castigada pelas chuvas nas últimas semanas. Nova Friburgo acumula o maior índice de baixas, com 301 vítimas fatais.

Os desaparecidos também somam um grande número em Petrópolis com 36 e em Sumidouro mais cinco pessoas não foram localizadas. As pancadas de chuva permanecem na região serrana, apesar de haver redução no índice pluviométrico.

Barracas usadas em situações de tsunami serão doadas as vítimas das enchentes e cada uma delas possui capacidade para abrigar até dez pessoas. Há fogareiros, cozinha separada, talheres, pratos, cobertores, purificador e armazenador de água.

.Comentários
Sem comentários no momento.

Fonte: Cinform
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 17/01/2011

domingo, 16 de janeiro de 2011

As 17 familias que até o momento aguardam o bom senso das autoridades de Simão Dias












Ao chegar na cidade de Simão Dias as pessoas se deparam logo com um problema que se arrasta a mais de 20 anos e as autoridades não tomam nenhuma providência, 17 famílias moram em situação desumana conforme fotos acima por falta de energia elétrica e água encanada  em frente a associação atlética.
Os moradores aguardam que o prefeito atual tome a atitude de resolver essa situação.
O senhor José Luiz Gonçalves dos Santos ( O Luiz do Outeiro) nos falou que vários politicos fizeram promessas dizendo que ia solucionar a situação mais até o momento nada só sofrimento . Segundo informações o prefeito para resolver essa situação é só enviar um projeto para câmara de vereadores aprovando a doação dos terrenos porque pertencem ao município a mais ou menos 20 anos. Como se ver nas fotos alguns moradores estão usando energia solar em plena avenida da cidade.

Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 15/01/2011

Operação policial apreende aves e motos na Feira das Trocas

Notícias - Capital - 15/01/2011 17:30

Uma operação realizada na Feira das Trocas na Avenida Tancredo Neves com objetivo de apreender armas e drogas localizou motocicletas e aves silvestres.

Não foram encontrados entorpecentes, no entanto, várias pessoas foram revistadas e houve varredura com cães farejadores.

As aves encontradas no local foram flagradas em condição irregular e muitas aparentavam maus-tratos.
Foto: Divulgação

Fonte: Cinform
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 15/01/2011

A bancada de oposição é pequena, mas grande em qualidade´, destaca Venâncio

15/01/2011 12:05:42

Dep. Estadual Venâncio Fonseca

 
Com a renovação da Assembleia Legislativa, dos 24 deputados eleitos em outubro, quatro formam a bancada de oposição na próxima legislatura. O fato de ser minoria na Casa não desanima o líder da oposição, deputado estadual Venâncio Fonseca (PP), que acredita na qualidade dos parlamentares reeleitos e na proposta de trabalho dos colegas, que vão continuar brigando para melhorar as áreas prioritárias para a sociedade sergipana, como educação, saúde e segurança, e, ao mesmo tempo, ter a capacidade de reconhecer os acertos da administração estadual.

A oposição é pequena, mas será grande em qualidade. Faremos um trabalho com muita decência, com muito respeito, mas, acima de tudo, com uma oposição construtiva, respeitosa, mostrando os erros do governo, sugerindo soluções, mas aquilo que o governo acertar, nós teremos a humildade de parabenizá-lo, garantiu Venâncio Fonseca, afirmando que dará continuidade ao trabalho desempenhado pela oposição na legislatura passada e que teve reconhecimento nas urnas, já que foi reeleito para exercer seu quinto mandato na Assembleia Legislativa.

Oposição - De acordo com Venâncio Fonseca, em qualquer governo é preciso que os parlamentares fiquem atentos em pontos considerados fundamentais para a população, como educação, saúde, segurança pública, área social e agricultura. O deputado estadual disse que a oposição vai realizar cobranças em relação às promessas feitas pelo governador Marcelo Déda (PT) durante a campanha eleitoral. O próprio governador reconheceu que há problemas na saúde e disse que neste segundo governo vai ser um secretário adjunto na secretaria da Saúde para amenizar a situação. Mas nós já sentimos que nada mudou e continua a mesma estrutura: falta médico, falta remédio, não tem atendimento de qualidade. Isto no Estado e em Aracaju, criticou o parlamentar.

Venâncio Fonseca disse que espera ver na mesa de trabalho do governo um projeto para recuperação Centro-Sul do Estado e, em especial, para a citricultura, além de propostas efetivas e um trabalho que melhore a qualidade de vida da sociedade sergipana.

A bancada de oposição da próxima legislatura será composta por Venâncio Fonseca (PP), Augusto Bezerra (DEM), Arnaldo Bispo (DEM) e Goretti Reis (DEM).

Fonte: Jornal do Dia
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 15/01/2011

sábado, 15 de janeiro de 2011

Operadora de telefone fixo OI deixa gambiarra nos postes da Energisa


Energisa fez melhoramento na rede elétrica conforme foto acima na av Dr. Humberto Nunes Oliveira e a operadora de telefone fixo OI deixa gambiarra nos postes da rede elétrica e pode a qualquer momento causar acidente.

Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 15/01/2011

Conjunto Manoel Ferreira Matos ( Multirão) em Simão Dias

Seu Zé do Picolé

Seu Zé do Picolé

Ao longo dos anos entra prefeito e sai prefeito e até o momento nenhuma solução foi tomada por parte da atual administração, moradores da localidade reclamam da rede de esgoto existente por que as manilhas não são adequadas e o maior problema está sendo o entupimento e o mau cheiro. Inclusive os próprios moradores como seu Zé do Picolé foto acima na maioria das vezes eles mesmos é que desintopem o esgoto.

Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 15/01/2011

Déda reafirma compromissos em audiência com o ministro da Saúde

Marcelo Déda e o Ministro Padilha
14/01/2011 08:38:45


O governador Marcelo Déda esteve reunido com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, no final da tarde desta quarta-feira, em Brasília, para reafirmar os compromissos do Governo de Sergipe com a Saúde, relembrando a agenda de pleitos que já havia sido acordada com o ministro anterior.

Déda também convidou Padilha para conhecer o atual projeto de Saúde Sanitária implantado em Sergipe e ainda apresentou novas propostas. Além disso, o governador pediu ao ministro que recebesse, em audiência, o novo secretário de Estado da Saúde, Antônio Carlos Guimarães, para que eles possam dialogar sobre a linha de trabalho que vai se delinear entre o Governo do Estado e o Ministério da Saúde.

Fonte: Jornal do Dia
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadare em 15/01/2011

Venda e consumo de bebidas alcoólicas são proibidos em praças esportivas

14/01/2011 08:37:01
  A Lei Municipal 3.777/2010 estabelece a proibição do comércio e consumo de bebidas alcoólicas nas dependências de praças esportivas da capital sergipana. De autoria do vereador Robson Viana (PT), a lei foi promulgada em 8 de fevereiro de 2010 e entrou em vigor na data de sua publicação.
 
Segundo o dispositivo, áreas como as construídas nas dependências de estádios de futebol, ginásios esportivos e quadra poliesportiva, bem como as calçadas pertinentes, são alvos da proibição de venda e consumo de bebidas alcoólicas.

Aqueles comerciantes e ambulantes que descumprirem a lei municipal terão seus produtos apreendidos e estes somente serão devolvidos após o pagamento da taxa no valor de R$ 500. Já o consumidor que infringir a lei será retirado da praça esportiva, sem o direito à indenização do valor do ingresso.

Ainda de acordo com a lei 3.777/2010, o menor de idade que for flagrado ingerindo bebida alcoólica nas dependências das praças esportivas será encaminhado à Delegacia de Proteção ao Menor. A fiscalização e providências necessárias para o fiel cumprimento da lei é de responsabilidade da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), através da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb).

Fonte: Jornal do Dia
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 15/01/2011




quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Número de mortos na Região Serrana chega a 482; há 13 mil fora de casa


Número de mortos na Região Serrana chega a 482; há 13 mil fora de casa
Imagens área de três desabamentos
estadao.com.br, Atualizado: 13/1/2011 12:35



RIO e SÃO PAULO - Em nota, a Polícia Civil do Rio informou que até às 17h30 de hoje os peritos já identificaram 423 mortos vítimas das chuvas na região serrana do estado. De acordo com a polícia foram identificados 214 corpos em Friburgo, 206 em Teresópolis, 19 em Sumidouro, 39 em Itaipava, distrito de Petrópolis e 4 em São José do Vale do Rio Preto.

Já o número de pessoas que estão fora de casa nas cidades castigadas pela chuva chega próximo aos 13 mil, segundo boletim divulgado nesta quinta-feira pela Defesa Civil estadual. São ao menos 7.780 desalojados (na casa de parentes ou amigos) e outros 6.050 que estão desabrigados (em abrigos do governo).

Há 3.600 desalojados e outros 2.800 desabrigados em Petrópolis; 960 desalojados e 1.280 desabrigados em Teresópolis; e 3.220 desalojados e 1.970 desabrigados em Nova Friburgo.

São José. Cerca de 20 mil moradores da cidade de São José do Vale do Rio Preto estão isolados. A afirmação é do deputado estadual Nilton Salomão (PT), que tenta acessar o município, localizado a 40 quilômetros de Teresópolis e mais de 72 km de Petrópolis.

'As águas que desceram por Teresópolis chegaram a cidade com uma força brutal e arrebentaram tudo. Tive informações que a delegacia foi totalmente destruída e nenhum telefone funciona desde ontem', disse Salomão. Segundo ele, ninguém fez uma estimativa do número de vítimas fatais na cidade. As imagens de uma mulher resgatada por uma corda vizinhos puxada por vizinhos foram registradas naquela cidade.

O prefeito de São José do Vale do Rio Preto, Adilson Faraco Brügger de Oliveira, se refugiou na prefeitura de Sapucaia, cidade vizinha. 'Ele conseguiu chegar até aqui por uma estrada de terra e retornou ontem mesmo. Perdemos o contato com ele, porque nenhum celular funciona por lá. A cidade está sem luz e água. A situação é preocupante. Ninguém sabe o número de mortos', disse o secretário de Comunicação Social de Sapucaia, Sérgio Campante.

Areal. No município de Areal, a 45 minutos de São José do Vale do Rio Preto, 1.200 pessoas estão desabrigadas e desalojadas. 'Não tivemos óbitos, porque soubemos da catástrofe em São José do Vale do Rio Preto e retiramos a população ribeirinha. Estamos agradecendo a colaboração nossa população e das cidades vizinhas, mas precisaremos de doações de água, alimentos e roupas', disse o prefeito de Areal, Laerte Calil de Freitas.

Sumidouro. As vítimas de Sumidouro eram moradores dos distritos de Campinas e Vila Dona Mariana, na zona rural. Os bombeiros estão tendo dificuldade de acessar a área, por isso não há exatidão quanto à quantidade de mortos e de desalojados. Na cidade, como nas vizinhas, começou a chover na segunda-feira. Uma tromba d'água teria descido da área de Vila Dona Mariana, segundo moradores contaram, e subido o nível do Rio Paquequer, afluente do Paraíba do Sul e o principal de Sumidouro. A 175 quilômetros da capital e com cerca de 15 mil habitantes, a cidade é vizinha de Nova Friburgo e de Teresópolis e tem a maior cachoeira do Estado, que atrai muitos turistas.

Teresópolis. Até agora, Teresópolis foi o município que registrou o maior número de mortes. A prefeitura decretou estado de calamidade pública e informou que mais de 2 mil pessoas tiveram que deixar suas casas. 'É a maior catástrofe da história do município', declarou o prefeito Jorge Mário Sedlacek. Segundo a Defesa Civil, 17 bairros foram atingidos por enchentes e deslizamentos. A área mais afetada foi a periferia da cidade, nas regiões conhecidas como Caleme, Poço dos Peixes, Posse e Granja Florestal.

Nova Friburgo. No município de Nova Friburgo, três bombeiros que tentavam resgatar moradores de um prédio que havia desabado foram soterrados. A cidade ficou praticamente sem comunicação durante todo o dia de quarta-feira, com linhas de telefonia fixa danificadas e sistema precário de telefonia celular. Uma encosta do município desmoronou e a lama invadiu a Igreja de Santo Antônio. O teleférico de Nova Friburgo, um dos pontos turísticos da cidade, também foi tomado pela terra.

Petrópolis. Em Petrópolis, a região mais atingida foi o Vale do Cuiabá, no distrito de Itaipava. Condomínios de classe média-alta, pequenas casas e pousadas foram invadidos rapidamente pela água dos rios Santo Antônio e Cuiabá, que subiram até 4 metros acima do nível normal. Nesta região, só em um sítio, 14 pessoas morreram. A força da enxurrada derrubou construções e, segundo a prefeitura, o número de vítimas pode passar de 40 apenas no Vale do Cuiabá.

Mata Atlântica. A região serrana é formada por montes cobertos pela Mata Atlântica, onde os solos são mais instáveis e mais propensos a deslizamentos. A construção de casas e prédios em vales, próximos a rios, também facilita as formação de enchentes. Em 1988, um temporal havia deixado 171 mortos em Petrópolis, na maior tragédia provocada pela chuva na região serrana até hoje.

(Com Priscila Trindade, Ricardo Valota, Bruno Boghossian, Márcia Vieira, Felipe Werneck, Marcelo Auler, Wilson Tosta e Kelly Lima)
Texto atualizado às 20h20.
Avalie este conteúdo: Ruim Thank you for rating.Excelente

Fonte: MSN Brasil
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 13/01/2011

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Sistema de esgotamento sanitário de Simão Dias é um caso sério


Rua Jairo do Prado Dantas
 
Travessa Júlio M. de Oliveira

Rua Jairo do Prado Dantas com Travessa Júlio M. de Oliveira

Ao longo dos anos a população que mora nas ruas  Jairo do Prado Dantas e na travessa Júlio Manuel de Oliveira vem sofrendo com o descaso da rede de esgotamento sanitário, onde o problema vem se arrastando por vários anos entra prefeito sai prefeito e até o momento nenhuma administração tomou as providências cabiveis inclusive segundo informação as manilhas não são adequadas e causa sempre este transtorno como por exemplo mau cheiro e entupimento fazendo com que os dejetos fiquem correndo por cima do asfalto.

Cidadania se faz aqui.
Postada por Júnior de Edna Valadares em 12/01/2011

Lei proíbe vende e consumo em todos estádios

Publicada: 12/01/2011

A Lei Municipal 3.777/2010 estabelece a proibição do comércio e consumo de bebidas alcoólicas nas dependências das praças esportivas da capital sergipana. De autoria do vereador Robson Viana (PT), a lei foi promulgada no dia 8 de fevereiro de 2010 e já está em vigor.

Segundo o dispositivo, áreas como as construídas nas dependências de estádios de futebol, ginásios esportivos e quadras poliesportivas, bem como suas respectivas calçadas, são alvos da proibição de venda e consumo de bebidas alcoólicas.

Aqueles comerciantes e ambulantes que descumprirem a lei municipal terão seus produtos apreendidos e estes somente serão devolvidos após o pagamento da taxa no valor de R$ 500. Já o consumidor que infringir a lei será retirado da praça esportiva, sem o direito à indenização do valor do ingresso.

Ainda de acordo com a lei 3.777/2010, o menor de idade que for flagrado ingerindo bebida alcoólica nas dependências das praças esportivas será encaminhado à Delegacia de Proteção ao Menor. A fiscalização e as providências necessárias para o cumprimento da lei são de responsabilidade da Prefeitura Municipal de Aracaju, através da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb).
Nenhum comentário encontrado.
Seja o primeiro(a) a comentar. Clique aqui para comentar

Fonte: Jornal da Cidade
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 12/01/2011

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

25,7 mil vagas serão abertas por concurso público

Foram abertas nesta segunda-feira, 10, pelo menos 86 inscrições para concursos públicos em todo o país. Serão 25.727 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade.

O salário chega a R$ 19.643,80 no Tribunal de Justiça de São Paulo. Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva, ou seja, os aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso.

Os órgãos que abriram inscrições foram: Câmara de Leme (SP), Departamento de Água e Esgoto de Santa Bárbara D'Oeste (SP), Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT), Petrobras, Prefeitura de Caicó (RN), Prefeitura e Câmara de Campo Verde (MT), Prefeitura de Mongaguá (SP), Prefeitura de Pindaré Mirim (MA), Prefeitura de Piratini (RS), Prefeitura de Santa Helena (MA), Prefeitura de Santana do Paraíso (MG), Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino do Amazonas e Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André (SP).

Fonte: Cinform
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 11/01/2011




.Comentários

domingo, 9 de janeiro de 2011

Famílias têm dificuldades em lidar com jovens

Publicada: 09/01/2011
Texto: Moema Lopes

A mudança de valores nas relações sociais associada à modernidade, à correria do dia-a-dia, e ao capitalismo hedonista permissivo, tem dificultado a relação entre pais e filhos, principalmente nos quesitos orientação e educação. Segundo especialistas, isso tem ajudado a empurrar os jovens ao abismo das drogas ou da depressão. “O corre-corre do dia faz com que as pessoas priorizem a satisfação imediata dos desejos e excesso de liberdade. Isso desabilita os pais da autoridade natural. Mas, é um problema que começou há muitas gerações e está aumentando com muita intensidade”, disse o psicólogo e professor da Universidade Tiradentes, Alexandre Raad.

Segundo ele, o excesso de oportunidades, a falta de controle dos pais, a ausência deles, faz com que os jovens adquiram uma pseudo-independência parcial. Os que os levam a substituição do seio familiar por outras redes sociais (fontes), favorecendo a desvinculação dos jovens da família e, consequentemente, à falta de controle dos pais nas ações dos filhos. “Mesmo se achando ‘independentes’ os jovens continuam dependendo dos pais com relação a muitas coisas, a exemplo do cumprimento de horários, valores e costumes que eles não acatam. Então, fica fácil transgredir (desobedecer), principalmente, com o uso da internet porque nessa hora a maioria dos pais não está com os filhos”, observou.

Influências

Quando os jovens já estão incluídos em outras redes sociais porque não estão se encontrando dentro do seio familiar ficam muito mais vulneráveis ao consumo de drogas, álcool, cigarros, entre outras substâncias que induzem ao vício. “Eles são incentivados ao uso de drogas porque sentem a necessidade de serem aceitos e desejados pelo novo grupo de convívio”, disse o psicólogo. De acordo com ele, essa necessidade passa a fazer parte do rito de passagem de um estágio infantil para o adulto.

“Eles entendem que esse ‘uso’ vai deixá-los mais adultos. Toda droga usada é sempre por conta do meio. O adolescente nunca faz sozinho, é sempre induzido pelo meio social”, explicou. Muitas vezes, segundo ele, o adolescente nem quer fazer uso das substâncias entorpecentes, cigarros, bebidas, etc., mas estar inserido no novo ciclo é tão importante que ele acaba fazendo o uso. Nem sempre, a influência é para fazer uso de substâncias entorpecentes. Eles também podem acabar se envolvendo em pequenos delitos, ou situações mais graves, quando se trata de um grupo corrompido por condutas não adequadas.

O que fazer?

O ideal, segundo a orientação de Alexandre Raad, é a prevenção, que deve acontecer por meio de conversas e entendimentos com os pais dentro do seio familiar. “Os pais devem entender a linguagem do filho e ouvi-los mais. Precisam participar de forma mais ativa e íntima da vida do filho. Esse é o melhor caminho para evitar desvios (caminhos mal escolhidos)”, disse. E quando o adolescente já está envolvido com o grupo desviado é preciso ver o nível de comprometimento.

“Eles começam por pequenas ações, que quando ocorrem o certo é buscar primeiro o caminho da conversa, não o de coerção. A coerção não tira o jovem da droga. As vezes empurra com mais força”, alertou o especialista. Quando o comprometimento do jovem com o uso de drogas é maior, o primeiro passo a ser dado é buscar ajuda médica e psicológica. “Mas, quando o comprometimento está além da capacidade de controle do indivíduo, a orientação é levar para clínicas de desintoxicação, ou seja, as chamadas fazendas de recuperação”, orientou Raad.

Pais presentes

Diálogo aberto entre pai, e filho adolescente, costuma aproximar os dois. É o caso do jornalista Dilson Ramos e de Fernanda Luyza Dória, de 19 anos de idade, estudante de Psicologia na Unit. A relação foi costurada quando a garota era ainda pequena. “Com pouco mais de três anos de idade, Fernanda acordava assustada à noite e me chamava. O certo seria chamar a mãe, mas não sei por que ela sempre pedia minha ajuda. Eu ficava com ela até que dormisse de novo”, explica o jornalista.

A relação entre os dois sempre foi tranquila, mas a adolescência sempre traz conflitos. Dilson afirma que teve que aprender a lidar com as mudanças que vieram. Os dois tiveram o mesmo aprendizado. “A criança doce ficou um pouco rebelde durante um período. Foi difícil, mas aos poucos eu e a mãe dela fomos lendo os sinais que ela emitia. Tomamos decisões duras, que desagradaram a Fernanda, mas ela entendeu”, observa.

Dilson Ramos afirma que fala abertamente com a filha sobre sexo, gravidez e drogas. “Quando Fernanda começou a namorar, vieram as preocupações. Ela arrumou um namorado ainda muito nova e isso nos assustou. Sempre que ia buscá-la na escola, conversava abertamente com ela. Dizia que as dores de cabeça causadas por uma gravidez na adolescência, e o uso de drogas, podem ser evitados. Basta dizer não, ter consciência. Ela sempre tinha exemplos assim, por perto, para perceber que eu falava sério e que estava tentando ajudá-la”.

O relacionamento da dona de casa Jocilene Neves, 42 anos, com a filha Lara Neves Chaves, de 16 anos de idade, também é na base da orientação, companheirismo e muita conversa. Jocilene conta que costuma ir com a filha para shows e outros eventos direcionados ao público “jovem”. “Hoje, a minha preocupação com ela é com relação as companhias e as festas. Procuro sempre orientá-la, principalmente sobre as drogas, para não beber nada em copos de outras pessoas...A única coisa que me dá medo é isso”, contou.

Jocilene disse que ela e Lara conversam como duas amigas e uma confia muito na outra. “Não crio minha filha para esse mundo. Ela é totalmente contrária a essas coisas. Não bebe, sei com quem anda e vou com ela para algumas festas. Primeiro porque meu marido não gosta, mas eu gosto de festas, então eu aproveito para ir junto com ela. Dessa forma, estou sempre acompanhando-a e conhecendo com quem ela anda”, falou. O que facilita a relação entra as duas é a linguagem aberta. “Acho que tem que ser assim. Tem que ter respeito, abertura para conversar sobre tudo, sobre o que ela acha e o que eu penso”, disse.
Nenhum comentário encontrado.
Seja o primeiro(a) a comentar. Clique aqui para comentar

Fonte: Jornal da Cidade
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 10/01/2011

Atalaia: moradores reféns da prostituição

Publicada: 09/01/2011
Texto: Carla Sousa

Moradores do bairro Atalaia estão tendo que enfrentar uma verdadeira batalha para tirar das portas de suas casas os pontos de prostituição e vendas de drogas que foram se firmando principalmente ao longo da Rua Cel. José Figueiredo Albuquerque. Cada esquina foi loteada pelos diferentes grupos que atuam na área, formados por travestis, prostitutas e traficantes. Quando cai a noite, os moradores dessa área nobre da cidade ficam praticamente reféns em suas próprias residências.

Um morador que não quis se identificar para evitar represálias, conta que há um ano e meio a porta de sua casa virou ponto certo de um grupo de travestis. Desde então, ele não teve mais sossego. Ele relata que já acionou várias vezes o serviço do Ciosp 190 por conta principalmente dos constrangimentos que esses ‘profissionais’ já fizeram ele e seus familiares passarem. “Eles chegam a ficar seminus, fazem muito barulho, às vezes ocorrem brigas e durante toda a noite todos nós vemos o movimento dos cliente que os tratam como mercadorias na porta de casa nos constrangendo”, afirma o morador que é funcionário público e reside no local há mais de 11 anos.

Ele conta que já tentou algumas medidas paliativas para expulsar o grupo do local como colocar óleo queimado na calçada e um holofote apontado para eles. Todas as suas tentativas foram infrutíferas. Até mesmo quando recorreu aos órgãos oficiais que tratam da segurança pública do Estado não obteve sucesso. Já foram mais de dez ocorrências registradas na delegacia e no Ciosp, a primeira data de 11 de janeiro de 2011, há quase um ano atrás. “Ás vezes atendem ao chamado às vezes não. E quando vem geralmente passam direto sem nem parar para averiguar o que foi relatado. Infelizmente a gente recorre ao meio legal, mas nunca é atendido”, afirma.

O funcionário público relata que já tentou até dialogar com os travestis pedindo de forma amigável para que se retirassem da sua porta. Mas a resposta que recebeu foi de que “a rua é pública e que eles tinham o direito de permanecer ali”. Ele afirma que além de registrar as ocorrências já procurou a Delegacia de Turismo, o Batalhão de Polícia localizado na orla, o Ministério Público Estadual e mais recentemente a Coordenadoria das Delegacias.

Ele ressalta que está disposto a ir longe com esta briga reunindo moradores para realizar um abaixo-assinado. Uma sugestão defendida por ele e por outros moradores da região é a criação de um local onde esse pessoal – travestis e prostitutas – pudessem atuar sem que incomodasse os cidadãos de bem nas portas de suas casas. “O poder público deveria tentar uma maneira legal para resolver esse problema. Para mim a delimitação de um local afastado das residências sob supervisão dos órgãos competentes seria o ideal”. Um outro morador, que também preferiu não se identificar, batizou a ideia de “putódromo”.

O problema mais grave, de acordo com este segundo morador, é que na maioria das esquinas é o tráfico de drogas que está tomando conta. “Muitas deixaram até de se prostituir para vender drogas”. Este grupo relata o morador, já não atua mais só ao cair da noite. “Eles estão aqui de manha de tarde e de noite. Os moradores da rua já chegaram a derrubar praticamente todas as árvores da porta de suas casas pra não fazer sombra durante o dia, porque se tiver sombra vai ter um grupinho ali vendendo drogas ou se prostituindo”, afirma.

Mas, apesar de aturem ao longo do dia, o problema se agrava mesmo ao cair da noite. “Às 18h é toque de recolher e ninguém sai mais de casa”. Ele conta que a calçada de sua casa fica cheia de prostitutas e marginais que chegam a estender colchões e passam toda a noite no local. “O barulho é demais e ninguém consegue dormir”. Segundo o morador, ele e seus familiares estão impedidos até de chegar à varanda de casa à noite. “Certa vez quando eu cheguei de mansinho na balaustrada um motoqueiro de capacete, que deve ser o distribuidor da droga, me ameaçou mostrando uma arma enorme na cintura” relata o senhor assustado. “Estamos aqui à mercê dos bandidos”, completa.

Este morador conta que já chegou a relatar o problema pessoalmente ao secretário de Segurança Pública e a outras autoridades policiais, mas segundo ele falta vontade para resolver a questão. “Infelizmente acho muito difícil que alguma coisa aconteça. Eles não querem resolver o problema”. Ele disse que está disposto até a disponibilizar sua casa, que possui uma visão estratégica para um dos pontos mais problemáticos da Atalaia, para que a polícia monte guarda e possa efetuar os flagrantes.

Ação

O comandante de Policiamento da Capital, o coronel Maurício Iunes, que também é morador do bairro Atalaia, disse que está disposto a se reunir com os moradores da localidade para que seja traçado um plano de ação. No entanto, segundo ele, em algumas situações a polícia está limitada a agir. “Se uma pessoa está numa esquina em pé, nós não podemos fazer nada. Não há nenhum crime nisso. A pessoa tem liberdade de ficar em pé numa esquina. Mas, se essa pessoa estiver despida, aí sim, nós podemos conduzi-la até a delegacia porque ela estará cometendo crime de atentado ao pudor. Mas se estiver vestida normal, pouco podemos fazer”, explica.

Em relação à proposta dos moradores de criação de um “putódromo” para a atuação dos travestis e prostitutas ele disse discordar. “O Estado não pode estimular a pratica de uma atividade que é considerada ilegal”. Segundo ele, o grande problema da região é mesmo o tráfico de drogas “e para isso nós temos que montar uma ação de repressão muito forte”, destaca.

Mas, de acordo com o coronel Iunes, o problema vivido pelos moradores da Atalaia não vai ser resolvido apenas com ação policial. “Essa é uma questão mais de cunho social do que de polícia. Não adiante a gente atuar numa localidade sem apoio de outros órgãos, o que pode acontecer é o problema migrar para outro local”, ressalta.

“Pelada não, quase pelada!”

Nicole Furacão, 19 anos, tem quase dois metros de altura e chama a atenção de quem passa pela esquina das ruas Dr. Fernando Sampaio com José Figueiredo Albuquerque. Há um ano e meio a travesti faz ponto no local e já é conhecida por conta das roupas um tanto ousadas que usa. “Gosto de usar fantasias compradas em sex shop. Tenho de enfermeira, diabinha, coelhinha”. São essas minúsculas fantasias que deixam o corpão moreno de Nicole totalmente a mostra para atrair os clientes, mas ela nega que fica despida. “É quase pelada, não é pelada”.

Além disso, ela afirma que só veste suas fantasias tarde da noite. “Faço isso só depois de meia noite ou uma hora”, afirma.

Ela confessa que a sua presença e a de suas colegas no local incomoda aos moradores e diz que o relacionamento com eles é “péssimo”. Mas explica que a Rua José Figueiredo Albuquerque é uma das mais movimentadas do bairro e por isso, apesar dos conflitos, não pensa em deixar o local. Segundo Nicole, se fosse para deixar o ponto para ir para um lugar melhor onde pudesse trabalhar de forma mais sossegada até que toparia. “Seria melhor porque ninguém ficaria incomodado nem sairia prejudicado”.

A jovem travesti conhecida como Pérola, faz ponto em uma outra esquina da rua José Figueiredo Albuquerque, e para ela também seria bom poder ter um outro espaço onde pudesse trabalhar. “Por aqui tem muita venda de droga e isso não é bom para a gente”, afirma. Ela veio de Maceió para fazer programa em Aracaju, onde reside há seis meses, e diz que está gostando da cidade porque a violência ainda não é tão grande. Quando questionada se também gostava de ficar seminua em seu local de trabalho ela afirmou que não. “Tem muitas câmeras por aqui nas casas,
prefiro não me expor tanto”, declara.

No entanto, a opinião de Nicole Furacão e de Pérola sobre um novo local de trabalho para elas, como querem os moradores da Atalaia, não agradou a todas do grupo de travestis. “Não seria bom porque o local aqui já é visado. Os clientes já sabem qual a esquina que podem encontrar a gente, por isso seria ruim se a gente tivesse que sair daqui”, explica Fernanda que já faz ponto no mesmo espaço há quase dois anos.

Fernanda conta que diferente de Nicole Furacão, não gosta de ficar exibindo o seu corpo. “Nem tenho esse corpão para ficar mostrando”. Além disso, ela acredita que um dos motivos de conflito com os moradores que querem a saída delas do local é exatamente o fato de colegas suas ficarem seminuas na rua. “Eu tiro por mim, porque se tivesse uma louca na porá da minha casa nua eu também não iria gostar”, afirma.
Nenhum comentário encontrado.
Seja o primeiro(a) a comentar. Clique aqui para comentar

Fonte: Jornal da Cidade
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 10/01/2011

Sítio Alto: o retrato da miséria em Simão Dias

Publicada: 09/01/2011
Texto: Dayze Lima

Depois de percorrido seis quilômetros, partindo de Simão Dias, o ponto de chegada é o povoado Sítio Alto. Localizado em cima de uma montanha, o que justifica o nome, a entrada não é muito convidativa. As casas antigas, a maioria de taipa e algumas de lona, a falta de água encanada e de saneamento básico denotam a vida sofrida das famílias que ali residem. Para completar o cenário de miséria, boa parte da comunidade não possui uma renda fixa. Trabalham pesado na lavoura para conseguir no final do mês uma quantia de R$ 300, e com esse valor sustentar, geralmente, de oito a dez pessoas.

É o que acontece com o agricultor Gilson dos Santos, de 52 anos. Nascido e criado em Simão Dias, o viúvo e seus três filhos acordam cedo para garantir o ‘pão de cada dia’. “Não temos outra fonte de emprego. Trabalhamos na roça plantando maniva, feijão, milho, e essa é a nossa unida renda”, lamenta seu Gilson.

O pai de família relata não ter dinheiro nem para comprar adubo. “Não tem como. O que ganho mal dá para comer. Não podemos tirar da comida para comprar. Não temos renda para isso. Às vezes tiramos R$ 10, R$ 20, quase nada para uma família. Por isso, plantamos como podemos”, expõe.

Sem opção de trabalho, os filhos de seu Gilson são obrigados a também lidarem com a labuta. “Ficar em casa é que não pode. É o único trabalho que eles têm também. Pelo menos no final do mês garantem um dinheirinho. Me ajudam e eu dou uma coisinha para eles”, conta o pai.

Rony Santos, um dos filhos de seu Gilson, precisou abandonar os estudos para ajudar o pai.

“Parei na 6ª série para trabalhar e ter como me manter, porque não podemos ficar sem dinheiro, pedindo o tempo todo. Pelo menos para nossos gastos pequenos, temos que ter. O dinheiro que arrecadamos é pra toda a família. Então, por que não trabalhar?”, questiona o rapaz.

Hoje com 21 anos, ele afirma que um de seus maiores sonhos é poder voltar aos estudos. “Quero muito dar uma vida melhor a minha família. Tenho essa vontade e sei que vou conseguir. Mas enquanto não tiver condições e um trabalho melhor, vou permanecer sem estudo”, diz.

Sem Água

Água encanada é outro direito ceifado as famílias que residem no Sítio Alto. Para consumirem o bem precioso, a comunidade tem que se deslocar até um poço. Ainda assim, eles garantem que a situação já foi pior. “Antes nem o poço tínhamos. Íamos até um lugar chamado Serra. Dá uns 20 quilômetros daqui. Quando chegávamos lá, esperávamos a água minar para encher os potes”, relembra Gilson dos Santos.

O agricultor recorda que saía de casa cedo. “Levantava às 4 horas e só retornava às 7 horas. Levava dois barris, todos os dias. Essa era a água que tínhamos. Hoje, com o poço novo, melhorou um pouquinho. Pelo menos a água é boa para consumo e para os afazeres. Pior é o outro que temos aqui. A água é tão salgada que não dá para beber. É um sofrimento muito grande”, critica.

Outra moradora, Maria de Jesus Santos também fala do desconforto de ir buscar água diariamente. “É difícil não ter água encanada. Eu mesmo não tenho idade para fazer esse percurso todos os dias. Sofremos muito com isso. É complicado. Têm muitas pessoas idosas aqui que são obrigadas a fazerem esse sacrifício. Se a prefeitura nos der pelo menos a água encanada, já melhoraria”, clama a senhora.

Abandono

Não bastasse ter que enfrentar problemas como a falta de água encanada e de trabalho para sobreviver, a população ainda é obrigada a se deparar com outros tipos de abandono. “Não temos nada. Falta esgotamento sanitário, saneamento básico. Vivemos abandonados. As coisas aqui andam devagar, quase parando”, critica seu Gilson.

Para ele, a população de Sítio Alto só é reconhecida em época de eleição. “Quando chega esse
período aparece um monte de gente para pedir voto. Depois que passa, nos esquecem. É como se não existíssemos. Não lembro o dia que vi alguém da prefeitura aqui”, desabafa o agricultor.

Dona Maria de Jesus concorda com o vizinho e faz um apelo. “Precisamos de condições melhores para sobreviver. Moramos muito distante da cidade e as ladeiras são muito altas. Se pudessem nos ajudar até nisso contribuiria para melhorar nossas vidas. Eles precisam nos enxergar antes e depois das eleições”, sugere.

Alguns moradores reclamam ainda da falta de merenda nas escolas do povoado. Segundo Maria, mãe de quatro filhos pequenos, é preciso fazer muitos sacrifícios para garantir o lanche das crianças. “Muita gente reclama da falta de alimentação nas escolas. Como é que os alunos vão se concentrar sem alimento? Meus filhos estudam, mas reclamam direto. Quando isso acontece me esforço mais e dou uma merendinha a eles. Graças a Deus sempre tenho o que dar para os quatro”, relata.

Sem moradia

Dona Maria ainda sofre com outro problema. A falta de um lugar digno para viver. Sem ter uma casa, construiu no quintal da residência seu filho mais velho um barraco de lona. “Vivemos como podemos. Temos o que comer, o que beber e isso é o que importa. Vamos seguindo. Não tenho como levantar nada agora. Nem de madeira e nem de taipa. Vamos viver aí até quando Deus quiser”, expõe a mãe.

De cabeça baixa, dona Maria detalha como faz para abrigar os membros da família e para fazer as tarefas diárias. “Os meninos dormem na rede e eu durmo na esteira. Para cozinhar acendo o fogo do lado de fora. Lá dentro, ainda tem espaço para guardar alguns potes com água e minhas panelas”, conta.

Para sustentar a casa, a mãe, assim como os demais moradores de Sítio Alto, trabalha na lavoura. “Meu dinheiro depende da roça. Às vezes faço uma renda boa. Este ano não trabalhei na safra ainda. O que alivia é o Bolsa Família. Com o que ganho no emprego dá para completar”, ressalta.

Mais sofrimento

Há alguns metros da casa de dona Maria está a residência de seu filho mais velho, Sandro Francisco Santos. Lá, o sofrimento é diminuído por ser uma casa de taipa e o número de membros na família ser reduzido. Moram apenas ele, a mulher Marcela de Jesus Santos e o filho de seis meses. “Minha avó se mudou e deixou a casa para mim. Antes morávamos com ela. Não temos condições de construir uma melhor. Temos que nos contentar com o presente”, afirma o jovem.

Sua condição salarial não difere do restante da comunidade. Sem ter um emprego digno, Sandro sustenta a família com a labuta diária. “Trabalho em um assentamento próximo daqui. O dinheiro depende da colheita. Quando tem feijão, trabalhamos com ele, quanto não tem, plantamos milho e assim por diante”, explica.

Quando o período de safra rende bons resultados, ele conta que o salário chega a ser bom. “Às vezes consigo tirar R$ 30, R$ 40 por dia. Agora não está bom, aí tiro menos. Recebo todas as sextas-feiras, mas não posso dizer que temos uma vida boa. É instável. Dependemos da plantação”, acrescenta.

“Ao entrar no período de entressafra complica mais ainda, porque quando plantamos nossa própria roça, temos alguma coisa, e quando não dá para plantar, rezamos para ter trabalho ou para poder plantar na roça dos amigos”, completa.

Com um largo sorriso no rosto, Sandro conta que o alimento de seu filho hoje é garantido. “A mamadeira dele, graças a Deus, temos para dar. Já passamos por muita dificuldade. Hoje as coisas estão um pouco melhores. Não que ainda não passamos, mas vamos nos virando”, relata.

Respostas

De acordo com o secretário de Ação Social de Simão Dias, Marcos Antônio Oliveira, alguns projetos são desenvolvidos em benefício à população do povoado Sítio Alto. “A maioria das famílias é beneficiada com o programa Bolsa Família. Tem projeto envolvendo a parte social, como os cursos de bordados, entre outros, levados a comunidade através do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social). Estamos sempre pensando no melhor para o povoado Sítio Alto”, assegura o secretário.

Marcos Antônio informa que outra ação do governo do Estado está prestes a ser implantada. “É o projeto para a demolição das casas de taipa e da construção de casas em alvenaria. Estamos fazendo o possível para que seja colocado em prática logo. Caso demore, a prefeitura vai disponibilizar o material para amenizar pelos menos a situação das famílias que moram em casas de lona. Conversamos com o líder comunitário do povoado e ele confirmou que, se o material for entregue, a população ajudará na construção”, garante.

Segundo o secretário, apesar da prefeitura não possuir um projeto abrangendo todos os povoados com a utilização de recursos próprios, alguns esforços têm sido feitos. “Tive uma reunião com o prefeito Dênisson Déda e um dos temas abordados foi o Sítio Alto. Estamos buscando a implantação de uma unidade do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) na comunidade e iremos fazer um levantamento para ver o local mais propício”, afirma.

“O prefeito fez uma visita ao povoado, acompanhado do secretário de Obras. Posso garantir que existem projetos para o Sítio Alto. Lá é uma das prioridades da gestão. Até porque é visível a necessidade de se ajudar a comunidade. Não que os outros povoados não precisem, mas lá detectamos uma precisão maior”, justifica Marcos Antônio.
Nenhum comentário encontrado.
Seja o primeiro(a) a comentar. Clique aqui para comentar

Fonte: Jornal da Cidade
Cidadania se faz aqui.
Postado por Júnior de Edna Valadares em 09/01/2011